Powered by Rock Convert

O tempo livre das crianças é bastante proveitoso para o desenvolvimento de suas aptidões e destrezas para a vida. Por isso, considerando que boa parte do tempo livre delas é preenchido por atividades extracurriculares, é sadio que pais e profissionais da educação reflitam sobre o benefício dessas atividades, bem como sobre seus respectivos impactos na formação dos pequenos cidadãos.

Um estudo publicado há alguns anos pelo Inep/MEC avaliou que o acesso a atividades extracurriculares influencia positivamente a performance das crianças no exame do Enem. O estudo levou em consideração o resultado da pesquisa socioeconômica aplicada antes da prova.

Os alunos que haviam frequentado cursos de língua estrangeira ou informática, por exemplo, tiveram nota em média 17 pontos superior às crianças com pouca ou nenhuma frequência a cursos dessa natureza.

Diante desse cenário, é comum surgirem dúvidas tanto entre pais quanto entre professores sobre até que ponto as atividades extracurriculares para crianças são benéficas — ou, se existem limites para tais tarefas; ou mesmo, sobre quais delas devem ser priorizadas em detrimento de outras.

Por isso, preparamos este post que visa esclarecer tais questionamentos e estimular a reflexão dos adultos em torno de como as atividades extracurriculares na infância podem contribui com a formação da nossa futura geração de brasileirinhos. Confira!

O que são atividades extracurriculares e quais seus benefícios?

Como o próprio termo denota, atividades extracurriculares são aquelas que excedem ao tradicional currículo escolar de disciplinas. Elas podem ser atividades corporais — dança, futebol, natação —, atividades artísticas — música, desenho, pintura, teatro —, ou até mesmo atividades intelectuais — informática, matemática, língua estrangeira.

Algumas atividades desse tipo são promovidas pela própria escola, fora do período estudantil formal, a fim de aprimorar o aprendizado das crianças e o seu desenvolvimento como pessoa.

Já outras tarefas extracurriculares são patrocinadas pelos próprios pais, com vistas, por exemplo, à ocupação do tempo livre das crianças e, em alguns casos, à preparação para o competitivo mercado de trabalho futuro.

Existem ainda as atividades extras que são desenvolvidas aleatoriamente pelas próprias crianças, como o futebol na quadra do condomínio ou do bairro, as inúmeras brincadeiras ao ar livre, as rodas sadias de conversas, entre outras.

Todas elas, em maior ou menor grau, contribuem para o aperfeiçoamento das habilidades dos meninos e meninas. Elas contribuem também para o exercício e o desenvolvimento de sua identidade, bem como para o aumento de suas habilidades de linguagem e de convívio social.

Qual o limite das atividades extracurriculares para crianças?

Um estudo publicado nos EUA mostrou que, em alguns países asiáticos, a maior parte do tempo livre dos adolescentes é gasto com trabalhos escolares. Em países da América do Norte, segundo o mesmo estudo, os adolescentes são mais independentes e gastam maior parte de seu tempo livre em atividades de lazer.

No Brasil, principalmente porque a introdução de atividades extracurriculares na rotina dos alunos é notadamente reconhecida como propulsora de melhorias no rendimento escolar, é muito importante que os adultos não exagerem na dose.

Eles devem estar inteirados sobre as atividades das crianças e assim ficar atentos aos eventuais sinais que podem significar níveis de esgotamento. Desânimo, inibição em excesso e até mesmo queda no desempenho estudantil podem estar relacionados ao excesso de atividades extras.

Sendo assim, uma atenção especial deve ser dispensada sobre a conexão entre o tipo de realização extracurricular e a idade das crianças; sobre a quantidade por vezes excessiva de responsabilidades na rotina da moçada; sobre a pressão empreendida pelos pais em torno dos resultados escolares dos pequenos etc.

As atividades extracurriculares das crianças devem cooperar com a sua formação de maneira equilibrada, e não as sobrecarregar de responsabilidades tal qual os adultos.

Como conhecer o perfil da criança para escolher a atividade extracurricular ideal?

Cada indivíduo aprende e se desenvolve de forma diferente. Por isso, identificar a maneira como cada criança apreende o mundo à sua volta e, assim, as expor a atividades condizentes com seu perfil aumentam as chances de sucesso dos pais e educadores na hora de escolher a atividade extracurricular mais apropriada.

Alguns estudantes têm melhor desempenho e voluntariedade em atividades intelectuais, ao passo que outros, em atividades corporais. Existem ainda aqueles que se destacam em atividades artísticas.

Independentemente do tipo de atividade e da idade da criança, os adultos devem ter em mente que adequar as atividades delas ao perfil comportamental fortalece a construção de resultados positivos e prepara melhor as crianças para os desafios da vida real.

Por exemplo, medos são derrotados por atos de coragem e de bravura vividos nas brincadeiras; a emoção é trabalhada por meio de diversas sensações, como ganhos e perdas; a autoestima e a autoconfiança aumentam, assim como a disciplina e a responsabilidade na administração do tempo e das tarefas da escola e do lar.

Portanto, os pais devem conhecer muito bem o perfil individual da sua prole, e assim encaminhá-la nas tarefas em que as aptidões dela fluam com grande naturalidade e riqueza de significado para seu crescimento.

Quais as melhores atividades extracurriculares para crianças?

Obviamente, não é possível determinar quais atividades extracurriculares para crianças são as melhores ou piores, visto que cada uma delas cumpre seu respectivo papel na construção da personalidade dos pequenos indivíduos.

Entretanto, segundo o relatório do Inep/MEC citado inicialmente, as atividades que na ocasião da pesquisa foram sinalizadas como determinantes para o sucesso dos alunos na avaliação nacional foram:

Cursos de língua estrangeira

Fundamental para a futura carreira profissional da criançada, os cursos de idiomas introduzem meninos e meninas em um novo ambiente cultural. Isso se deve ao fato de que a linguagem, na sua amplitude, abrange muito mais de que sons e letras; a linguagem compreende a história dos países, seus heróis, seus costumes, sua literatura, sua culinária, suas gírias, entre outros.

À medida que crianças de qualquer idade são expostas a situações de aprendizado que priorizam tais aspectos, ela passa a ter novas referências para entender o mundo à sua volta, para tomar decisões, para comparar coisas e compreender intuitivamente novos assuntos, que — à medida que ela cresce — vão se tornando cada vez mais complexos.

Cursos de informática

À semelhança dos cursos de idiomas, os cursos de informática também assumem um papel importante no desenvolvimento intelectual das crianças. Apesar de o contato delas com tecnologia ocorrer já nos primeiros anos de vida, os cursos formais de computação oferecem um melhor direcionamento do conhecimento.

Além disso, por meio de cursos desse tipo, as crianças são estimuladas a exercitar o raciocínio lógico, a dedução e a criatividade. Habilidades como essas tendem a cooperar com o desenvolvimento intelectual da meninada e prepará-la para as futuras e inusitadas situações da vida.

Artes plásticas ou atividades artísticas em geral

Esse tipo de atividade extracurricular contribui para que as crianças aprendam a se expressar publicamente, a aguardar sua vez de agir e de falar, a expressar suas emoções e sentimentos. Atividades artísticas têm capacidade ímpar de despertar comportamentos criativos e intuitivos nas crianças.

Por meio da arte elas experimentam o valor da unidade e da harmonia entre as pessoas, aprendem a contemplar a beleza da natureza e a admirar a perfeição da teoria musical. Tais elementos tornam esse tipo de atividade extracurricular ainda mais importante para o desenvolvimento infantil.

Esportes e atividades físicas

É natural que a grande maioria das crianças seja apaixonada por atividades esportivas. Garra, determinação e perseverança são trabalhadas em profundidade por meio desse tipo de atividade. Por isso, é importante que os adultos estejam regularmente lembrando as crianças sobre a importância de elas serem honestas nos jogos, não mentirem durante a prática de esportes e nem serem desleais com os adversários.

Valores como esses cooperam para que os novos cidadãos cresçam com uma valiosa bagagem cultural, e assim sejam estimulados a futuramente serem adultos valorosos, competitivos, trabalhadores e corajosos diante das eventuais adversidades do dia a dia.

Por fim, também é importante destacar que em nenhum momento as atividades extracurriculares para crianças devem ser utilizadas como forma de suprir a carência afetiva deixada pelos pais.

A presença frequente deles na educação dos filhos — assim como os vários tipos de atividades lúdicas e educacionais descritas aqui — é fundamental para o pleno desenvolvimento da criança.

Se você gostou deste conteúdo, compartilhe-o agora nas suas redes sociais para que outras pessoas também venham refletir sobre esse tema tão importante!

Powered by Rock Convert